Capitalismo Consciente

Pilares

O Capitalismo Consciente é baseado em 4 pilares que são organizados de maneira interdependente dentro de uma organização: O propósito evolutivo, a integração dos stakeholders, a liderança servidora e a cultura responsável. Os últimos três pilares são norteados pelo propósito, que é o combustível que move um negócio em prol do desenvolvimento da comunidade que está inserido.

Propósito evolutivo:

O propósito é a interseção da paixão e o talento, com a necessidade de alguém. O propósito sempre vem da (s) pessoa (s) que fundaram o negócio. Ele deve ser evolutivo porque tem que ser um agente de evolução e desenvolvimento da sociedade. O propósito é nobre, porque causa um impacto positivo sobre o mundo. Ele é resumido em uma frase que galvaniza toda a aspiração e o porquê da empresa existir. No caso da Merin Erin é fazer do capitalismo uma fonte de inclusão e sustentabilidade, uma empresa por vez.

Integração de Stakeholders:

Stakeholders são as partes interessadas ou afetadas (direta e/ou indiretamente) pela atividade meio ou fim (clientes, fornecedores, colaboradores, comunidade, sindicatos, governos, órgãos regulamentadores e etc.). Ou seja, antes de tudo, devemos pensar que existem pessoas por trás de todos os processos. Se temos pessoas, elas podem ser clientes. Sendo assim, devemos pensar como o propósito da empresa pode se manifestar por meio de ações para estabelecer uma relação de ganha-ganha com os stakeholders, e não de trade-off, ou a popular barganha (um ganha para o outro perder).
Junte-se a nós nessa jornada transformadora!

Liderança servidora:

Todos os líderes da instituição devem ser líderes tanto para dentro, quanto para fora da empresa. Inspirar as pessoas sendo servos do propósito da organização. Fazer com que suas atitudes engajem e motivem as pessoas a terem o mesmo comportamento no dia a dia do trabalho, ou impulsione atitudes semelhantes em outros líderes. Citando novamente Peter Drucker, ele diz que apenas três coisas podem acontecer naturalmente nas organizações: atrito, confusão e mau desempenho. Portanto, os líderes devem ter uma alta capacidade de inspirar e de serem empáticos, para lidar e conduzir lado a lado as pessoas que fazem parte da estrutura da empresa.

Cultura responsável:

Fazer com que o propósito se transforme em respostas e atitudes diárias dentro da organização entre todas as pessoas que estão envolvidas com ela. Ter uma cultura responsável é fazer do ambiente da empresa um lugar saudável, de cuidado e estimulante. Onde as pessoas se sintam felizes de estar, seja pela maior parte do seu dia, ou por alguns minutos. A cultura de uma empresa é extremamente difícil de ser copiada, porque ela depende das pessoas que ali estão e que cuidam daquele lugar. Peter Drucker tem uma frase que é a melhor representação de uma cultura responsável: “A cultura come a estratégia no almoço.” (Ou seria no café da manhã?). As empresas só conseguem realmente se humanizar a partir de uma cultura de bons sentimentos e ações que se instala por lá.

Qual impacto aconteceria na vida das pessoas se a sua empresa deixasse de existir amanhã?